Você está vendo a categoriaEntrevistas

Página 2 de 6

Entrevista com uma Super Mulher Normal

Postado por Cris Rajão em Entrevistas

pastora fatima post

Fui gravar uma participação em comemoração ao Dia da Mulher no Programa Acesso Livre . Rede Super, e saí de lá encantada…

Tive a oportunidade de conhecer Super Mulheres Normais INCRÍVEIS, mulheres que trabalham em áreas diferentes, Super inteligentes, e que vivem os mesmos desafios de todas nós… Dar conta de tudo!!!

Uma das que tive o prazer de conhecer, foi a Pastora Fátima Miranda, uma Super Mulher de Deus, que ao mesmo tempo demonstra força e delicadeza.

Eu que sou maníaca por livros, já estou louca para ler o seu recém lançado “Chá com Deus”…

Pastora Fátima Miranda de 56 anos, conta para nós um pouco deste projeto.

Como surgiu o chá com Deus?

O Chá Com Deus começou há 15 anos, nasceu da necessidade de uma reunião diferente para mulheres, fora dos padrões de culto normal, mas onde a cada reunião cultuássemos ao Senhor com músicas e danças, compartilhássemos a Palavra, tivéssemos tempo para testemunhos, pedidos de orações e aconselhamentos.

Mulheres comuns ou normais, ajudando mulheres comuns e normais. Um lugar de compartilhar as  vitorias de cada uma.

Quando surgiu a ideia de publicar um livro?

A ideia de publicar o Livro nasceu do desejo de comemorar os 15 anos da reunião.

Queríamos “DAR”  um presente de gratidão ao SENHOR, por tantos milagres que foram e são feitos em nosso meio.

Qual o objetivo do livro e o que ele aborda?

O objetivo do Livro é contar nossas experiências, queremos que outras mulheres vejam que o Senhor é acessível, qualquer pessoa pode ser alvo dos milagres, qualquer pessoa pode viver um tempo totalmente novo, que não existe uma pessoa especial, todas somos únicas para Ele. Se cremos, qualquer situação será transformada .

Não existe  ” Impossível”!!!

Com nossas vidas, testemunhos, provamos que é verdade. Que cada pessoa pode ser instrumento da própria mudança, milagre  ou transformação. Basta crer, obedecer e confiar no Senhor, ele mesmo, faz a obra ou melhor é o Espirito Santo que nos guia em cada detalhe de nossas vidas.

Em cada relato há a foto da escritora, queremos  que as leitoras nos identifiquem, para que não sejam apenas relatos, mas vidas comprovando a Verdade vivida por nós.

São 34 relatos escritos na linguagem de cada uma, experiências especificas, assuntos diferentes, mas o milagre continua o mesmo: JESUS CRISTO.

Se você assim como eu, está “louca” para ler o livro, entre em contato:

(31) 32964971 ou (31) 84371230

fatimamirand@hotmail.com

facebook.com/Cha-com-Deus

 

 

Entrevista com uma Super Mulher Normal . Angélica Hodge

Postado por Cris Rajão em Entrevistas

angelica post

Tive o maior prazer em conhecer a Super Mulher Normal Angélica Hodge no lançamento do Blog no Menu de Maquiagem.

Após 8 meses, fui honrada com o convite de dar uma entrevista junto com minha filhota em seu “delicioso” Programa de TV, o Revista BH NEWS.

Esta Super Mulher Simpaticíssima, assim como nós, desempenha vários papéis em seu dia-a-dia…

E eu já falei para ela… Estou me espelhando em sua Super organização!!!

Conheça um pouco dela…

Nome: Angélica Hodge

Idade: 38 anos

Profissão: Apresentadora do Programa Revista BH NEWS e Empresária, Publicitária e Jornalista, e como se não bastasse, é formada em Artes Cênicas, Mãe, Esposa e Dona de Casa.

Desde quando você apresenta o Revista BH NEWS?

Fiquei 10 anos fora da TV, cuidando da família e da minha empresa (tenho uma Empresa de Comunicação Empresarial – Supra Comunicação Interativa)

Retornei à TV com o Revista BH News, em Março de 2012.

Quem é seu público?

Optei por não identificar faixa etária ou sexo.

Gosto de pensar que meu público é formado por pessoas que querem conteúdo e informação de forma leve e responsável.

Falo de tudo que interessa a todos nós, mas que seja bom de ver e ouvir.

Me sinto cercada de bons e velhos amigos, só isso.

Qual a entrevista mais interessantes da sua carreira?

Puxa Vida!!! Eu nem sei qual foi a melhor!!!

Cada um que senta naquele sofá me traz algo transformador… Cada um me traz um ensinamento, uma dica, um estilo de vida, uma novidade sobre o mundo e as pessoas.

Enquanto te respondia, me passou tanta gente pela cabeça como um clipe de mil fotos em um segundo.

Só no Revista BH NEWS, nestes dois anos, foram quase duas mil pessoas entrevistadas e mais de 1400 temas.

E a mais difícil?

Estar diante das câmeras não é nada fácil…

O nervosismo pode tomar conta do entrevistado, aí ele não consegue desenvolver com tanta naturalidade. Mas isso é contornável…

Teve uma que fiz com os Presidentes da Fundação Sara… Quando me contaram da dor de perder a filha com câncer… Chorei tanto que quase não consegui terminar a conversa.

Câncer e crianças são coisas que não combinam!!! Pais perderem filhos também não!!!

Chorei muito!!!

Agora, pensando em entrevistas que ainda não consegui fazer, tenho algumas que acho que seriam muito bacanas… Que sabe um dia…

Como você faz para dar conta de tudo? Trabalho, casa, filhos…

Sei o que é ser mãe de um… de dois… e de três…

E ter três filhos não é como ter dois!!!

Para ser mãe de verdade, de três filhos é preciso muita atenção e disciplina… Muita disciplina!!!

Sempre fui Workaholic!!!

Trabalho sempre moveu minha vida… 24 horas ligada em trabalho!!!

Dormia pensando nisso, acordava pensando nisso…

Mas, vi que estava fazendo tudo errado… Ser Mãe não é só parir, pagar as contas e contratar babá… Ser  Mãe é ter a responsabilidade de criar e conduzir seres humanos.

Vi que sem o “olho no olho” diário, eles se sentem perdidos. Sabe aquela coisa da criança te contar uma coisa e você com a cabeça cheia de problemas, nem presta atenção direito?

Percebi que estava criando uma família de cinco pessoas solitárias (marido e três filhos – Pedro de 13, Luíza de 8 e Rafael de 4). Então, quando atinei, a empresa ia bem, diminuí a carga horária que era surreal, criei rotinas de atividades para eles e rotina de trabalho para mim.

Estabeleci cardápios alimentares e dois profissionais me ajudam a executar as tarefas.

Tudo na minha casa funciona com planejamento. Quando a família acorda, o dia já está todo planejado. Se não for assim, não tem como viabilizar todas as atividades de cinco pessoas. Cada um tem um compromisso, uma rota diferente (que o trânsito caótico acaba complicando)… aula disso e daquilo, reuniões de trabalho, para casa, eventos…

Tenho hora de brincar com cada um, hora de ajudar nas tarefas e hora de descansar. Assim como tem o dia e hora de ir ao supermercado e ao sacolão.

O meu tempo tem que ser muito organizado, dia e hora de estar na empresa, hora de fazer o programa, de estudar pautas, de ir ao salão, fazer exercícios e ir à eventos.

Isto, sem falar no casamento, ainda bem que meu marido também tem agenda cheia!!!

Aí,no final de semana a gente se encontra (isso porque moramos juntos, heim)!!

A maquiagem faz parte do seu dia-a-dia, já que para gravar é indispensável. Quais os produtos imprescindíveis?

Uso tanta maquiagem que ela faz parte da minha pele.

E fico impressionada como realmente ela castiga a nossa pele.

O que é indispensável para todas nós, é um bom sabonete para o rosto. um protetor solar potente (existem até alguns com cor que substituem a base), um hidratante poderoso ou um BB Cream (uso o da Maybelline).

Já para a maquiagem, o básico é um gloss, um blush e um rímel.

Assim dá para sobreviver… Fora isso, é andar grudada no seu maquiador que é o que faço… Meu “São” Gladstone Colodetti.

 

Entrevista com uma Super Mulher Normal . Érica Dante

Postado por Cris Rajão em Entrevistas

erica dante

Érica Dante é uma Super Mulher Normal… Vaidosa… Simpaticíssima… que sabe muito bem o que quer!!!

Modelo Plus Size, esta Super Mulher tem inspirado outras Super Mulheres a seguirem um novo caminho, onde a auto estima “pesa” muito mais que a “balança”!!!

Nome: Érica Dante Moura

Idade: 31 anos

Profissão: Formada em Pedagogia, trabalhava na área de Educação Executiva, até começar a trabalhar com Moda

Manequim: 48

Quando você começou como modelo Plus?

Como Plus comecei há 3 anos, mas já havia feito um curso de modelo e manequim a convite de uma agência quando ainda vestia manequim 40, mas não cheguei a modelar.

Anos depois meu peso aumentou e o mercado Plus Size foi crescendo…

A convite de um fotografo que já tinha um trabalho para mim, renovei meu book e ai sim, entrei no mercado.

Como é o mercado?

É um mercado novo no Brasil… principalmente aqui em Minas, resistente a mudanças… mas seu crescimento é inevitável já que cerca de 48% das pessoas vestem um manequim acima de 44.

Os cachês são condizentes com os trabalhos?

Na grande maioria das vezes não.

Uma modelo Plus recebe cerca de 30% do cachê de uma modelo tradicional.

O mercado Plus não é valorizado, mas também não se valoriza!!!

Com a busca de querer trabalhar como modelo, muitas meninas aceitam fazer trabalhos de graça e isso derruba o mercado.

Com isso, as lojas também acabam fazendo produções descuidadas, tornando o trabalho Plus Size muitas vezes sem qualidade e beleza.

Você tem dificuldades para achar roupas modernas e estilosas?

Não tenho mais!!!

Conheço bem o meu corpo, sei o que fica bem, e conheço várias lojas que trabalham no segmento.

Mas para a maioria das meninas, sei que não é tão fácil, por isso criei o site Medida Plus, para que elas tenham alternativas interessantes para se vestir.

Mas, falando de maneira geral, as roupas Plus ainda estão distantes de deixarem aquelas que vestem um manequim maior bem vestidas e estilosas, sem custar uma fortuna.

Qual o conselho que você daria para quem quer começar na carreira?

Fazer um workshop comigo!!! Rs

As meninas tem que entender que nem todas tem perfil para ser modelo.

Não basta ser Plus, gostar de tirar fotos e ter um rosto bonito.

Então em primeiro lugar, o ideal é procurar um profissional competente para avaliar o perfil e saber se vale a pena tentar a carreira.

Segundo, é fazer um book de qualidade. É ele que te vende!!!

É preciso fotógrafo experiente, fotos em estúdio, um maquiador profissional  e looks adequados para as fotos.

Terceiro, buscar qualificação…

Ser modelo é uma profissão como qualquer outra!!!

Informar-se e estar antenada sobre o mundo da moda, saber desfilar, saber posar, são atividades que fazem parte da vida da modelo…e no mais, muita sorte!!!

Contatos: (31) 91407182

www.medidaplus.com.br
www.facebook.com/ericca.dante

 

Entrevista com uma Super Mulher Normal . Rê Romualdo

Postado por Cris Rajão em Entrevistas, Mestre Cuca

rena

rena2

Rê é uma Super Mulher Normal, que assim como nós “dribla” para dar conta dos a fazeres do dia-a-dia!!!

Uma Super Mulher que correu atrás de seu sonhos e agora anda arrasando por aí… ou melhor dizendo… nas cozinhas por aí!!!

Conheça um pouco desta Super Mestre Cuca… e caso precise, utilize seus Super serviços!!!

Nome: Renata Romualdo

Idade: 37

Profissão: Chef de Cozinha

Como e quando surgiu esta paixão pela gastronomia?

Minha paixão pelas panelas começou cedo, desde nova sempre curiosa, passava horas espiando minha avó e minha mãe na cozinha aprendendo tudo que meus olhos atentos conseguiam captar.

Assim conquistei a bancada em minha casa…

Na prática, minha experiência na cozinha deu início aos 13 anos, quando finalmente minha mãe me deixou assumir a cozinha.

Testava tudo que podia!!!

Entre erros e acertos a culinária aos poucos se transformou em hobby.

Tentei estudar, trabalhar em outros ramos,  mas foi inevitável, troquei tudo pelas caçarolas.

A partir daí, tomei a decisão de estudar e me especializar.

Fiz um curso e me formei em 2010.

Desde então a gastronomia tornou-se minha profissão e minha verdadeira paixão!!!

Como funciona seu trabalho?

O Cliente tem um chef exclusivo em casa por algumas horas.

Transformo sua sala de jantar em um aconchegante Bistrô.

Sugiro um cardápio para o encontro com amigos.

Aniversários, jantares ou qualquer tipo de celebração podem ter um gosto especial com um menu requintado, feito por um profissional experiente.

O melhor é que o cliente não tem trabalho algum. A comodidade é uma das principais vantagens do Personal Chef.

Indico as opções de entrada, prato principal e sobremesa. Mas, quem dá a palavra final é o cliente, que  escolhe com total liberdade o que quer servir aos convidados.

Após a escolha do menu, vamos as compras, e se o contratante preferir posso acompanhá-lo.

No dia do evento, vou até a casa dele e preparo o menu escolhido. Sempre com muito requinte e qualidade!!!

Quais os ingredientes indispensáveis na sua cozinha?

Além da dedicação e do amor, em minha cozinha não pode faltar nunca ingredientes frescos e de muita qualidade.

A gastronomia esta passando por um momento de franca expansão. O que contribui para isto?

A gastronomia para mim é uma paixão…

Procuro sempre desenvolver ideias, sabores, designers de formas e receitas com gosto de vida.

Meu objetivo é levar até o cliente uma cozinha diversificada com um gosto e um toque especial, despertando todos os seus sentidos.

Minha contribuição é levar boa comida a mesa, valorizando e pesquisando produtos regionais e pouco conhecidos sempre com muito cuidado e amor.

 

Entrevista com uma Super Mulher Normal . Lú Silva

Postado por Cris Rajão em Entrevistas

lu

Nome: Luciana Silva

Idade: 37 anos

Profissão: Estilista e Empresária (Proprietária da Organza)

Lú é uma Super Mulher Normal, que assim como a maioria de nós, se divide entre casa, filho e trabalho.

Proprietária da Organza, marca que atende as Super Mulheres Normais reais que vestem até o manequim 54.

Lú está fazendo um lindo trabalho!!!

Fique de olho nesta marca que está embelezando as Super Mulheres “cheias de curvas”!!!

Você tem larga experiência em moda festa, passou pelas noivas e agora está investindo em um novo mercado, o Plus Size. Como se deram estas mudanças?

As mudanças aconteceram somente nas ampliações que estão maiores para atender meu público até o número 54.

Meu  estilo para vestidos de festa e noiva , ainda possuem  os mesmos conceitos  jovens, atuais e bem modelados.

Como surgiu a ideia de lançar uma marca Plus Size?

A ideia veio exatamente das clientes do atacado, que compravam meus vestidos e sempre pediam uma numeração maior para atender a um público muito carente em suas lojas.

As pessoas tem preconceito de comprar roupas de uma grife Plus Size?

Sim. A maioria das pessoas estão acostumadas a imaginar uma roupa Plus sempre muito larga e sem estilo.

Qual o tema da coleção Primavera-Verão?

Remix. O  tema da coleção surgiu com a necessidade de rejuvenescimento, com misturas de peças clássicas com peças mais inusitadas.

Quais são as peças mais procuradas?

As blusas bordadas a mão com pantalonas de tecidos fluidos.

Quais os principais cuidados que uma pessoa que está acima do peso deve ter ao escolher suas roupas?

Primeiro… sempre bom senso, que indefere do peso.

Nós mulheres, sabemos exatamente o que nos valoriza.

 

Entrevista com uma Super Mulher Normal . Odette Castro

Postado por Cris Rajão em Entrevistas

odete para post

odete post

Odette é responsável pelo que há de mais  “cool” quando o assunto é decoração de casamentos e festas…

Faz do dia-a-dia uma poesia… basta dar uma olhada no que posta na página de seu face.

Guerreira e vitoriosa, esta Super Mulher Normal tem o dom de contar histórias através da sua arte!!!

Conheça um pouco de Odette Castro…

Quando e como você começou a se apaixonar por decoração de festas?

Sempre fiz decoração das festas das minhas filhas, amigas, casamentos improvisados na minha cidade (Peçanha), e tenho uma facilidade de olhar para um objeto e transforma-lo em outro produto. Isto surpreende!!!

O que é necessário para deixar um ambiente de festa perfeito? Quais os detalhes imprescindíveis?

A festa perfeita é a que tem total identidade com os noivos. Ela tem que falar a linguagem dos dois.

Eu gosto de contar historias através da  decoração.

Mas, com todo cuidado para não cair no caricato.

Por exemplo, uma noiva ciclista decorar a festa com bicicletas é obvio demais.

Existe outras formas de contar a mesma historia.

Os detalhes imprescindíveis numa festa…. o carinho, o cuidado e a delicadeza com seus convidados.

Uma festa bonita, com boa música, boa comida e amigos, é impossível não ser encantadora.

As pessoas já chegam até você sabendo o que querem?

Hoje com a internet, elas já chegam com uma ideia pré-formatada, e sempre com a frase… “não quero aquela festa igual a de sempre”.

Aí, explico que se ela repetir as plaquinhas, o “já vem a noiva”, o bouquet de sapo, etc… ela esta fazendo de novo tudo igual…

Mas, basta uma conversa rápida, para que elas entendam a proposta.

A dificuldade que enfrento é a diferença entre uma festa feita exclusivamente para os noivos e uma festa simplisinha e baratinha.

Minha festa é totalmente montada a mão.

Cada toalha, cada jogo americano ou sousplat é unico.

Os arranjos florais são desenhados antes de elaborados.

Tenho um arquiteto que cria o projeto de iluminação…

Não consigo fazer mais de um casamento por mês.

Alguns casamentos levam de 3 a 4 meses para serem concluídos.

Mas, como toda ideia nova, demora um certo tempo para ser incorporada na vida das pessoas.

Acredito que a tendência ´seja esta…. Festas menores e mais exclusivas!!!

O que te inspira?

A noiva é minha total inspiração.

Vivo o romance com elas. Cada sonho, cada detalhe, passa a fazer parte da minha historia…

Uma noiva tinha uma relação especial com uma árvore cerejeira, a outra queria homenagear a mãe com linhas e tricô… Outro casal se conheceu em um forró.

O sonho de um casal era transformar o local da festa na Toscana.

E assim, mergulho na alma dos noivos.

E quando você recebe, durante a madrugada da festa, uma mensagem… “Você leu minha alma”… Não existe, nada que pague.

Trabalhar com amor e historias de amor é o melhor trabalho do mundo!!!

 

Entrevista com uma SUPER MULHER NORMAL . Cristina Agostinho

Postado por Cris Rajão em Entrevistas

Cristina_Agostinho - FOTO ATUALIZADA

Fiquei conhecendo o trabalho da Cris através de uma amiga…

Logo depois descobri que ela é mãe de outra amiga!!!

Fiquei Super interessada em saber mais…

Alguns de seus livros chegaram às minhas mãos e estou lendo com meus filhotinhos que estão amando!!!

Segue um pouco mais desta Super Mulher Normal que é só “Sorrisos”!!!

Nome: CRISTINA AGOSTINHO

Idade: 63

Profissão: ESCRITORA

–  Como e quando começou a escrever?

Começar, como todo escritor, comecei a escrever meus primeiros contos quando ainda era adolescente.

Nessa época ganhei um concurso de contos promovido por uma editora e me senti a própria escritora.

Na verdade, muita água rolou debaixo da ponte até  publicar o meu primeiro livro, o que só aconteceu em 1984.

– Por que infantojuvenil?

Dos meus 16 livros publicados, a maioria é infantojuvenil, mas também escrevo biografias e memória social, como LUZ DEL FUEGO, A BAILARINA DO POVO ( que escrevi com a colaboração de Branca Maria de Paula e Maria do Carmo Brandão) e NATIVOS E BIRIBANDOS, MEMÓRIAS DE TRANCOSO (em co-autoria com Fernanda Carneiro).

Mas confesso que o meu reconhecimento como escritora sempre veio dos livros infantojuvenis.

– Quais dos livros publicados é o que mais arde em seu coração? Por que?

Creio que é difícil para qualquer escritor escolher o livro que mais arde em seu coração.

Livros são como filhos,  são amados da mesma forma pelos pais, embora tenham personalidades diferentes.

AMOR INTEIRO PARA MEIO-IRMÃO, é o meu primeiro livro – portanto o filho mais velho, me trouxe a alegria do meu primeiro prêmio literário, o “João de Barro” da Prefeitura de Belo Horizonte.

PAI SEM TERNO E GRAVATA, é o meu livro mais lido e o mais viajado.

Por conta dele, já recebi centenas de cartas de pequenos leitores de todas as partes do Brasil.

O MISTÉRIO DO LIVRO SEM MISTÉRIO, pelo seu tom humorístico, me divertiu muito enquanto escrevia.

Lembro-me das gargalhadas que dava quando escrevia os capítulos.

AS DUAS FRIDAS (biografia de Frida Kahlo), foi escolhido para o catálogo da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, para a Feira de Livros de Bolonha, Itália.

E os meus filhotes mais recentes, RAPUNZEL E O QUIBUNGO e JOÃOZINHO E MARIA (co-autoria com Ronaldo Simões Coelho),  da Coleção De Lá pra Cá da Mazza Edições, já estão me trazendo alegrias inesperadas como participar do Programa Mochila Escolar da Secretaria Municipal de Educação de BH.

E assim por diante…

– Como você dá início ao processo criativo?  O que te inspira?

Isso depende do livro.

Grande parte dos meus infantojuvenis nasceram de algum fato vivenciado por crianças à minha volta, minha filha ou filhos de amigos meus. E, agora, dos meus netos.

No mês de setembro, participei do Projeto “Livro de Graça na Praça “com um texto inspirado no meu neto, “NICHOLAS E OS VINGADORES”.

No caso das biografias, primeiro eu tenho que me apaixonar pela figura a ser biografada.

Se isso não acontece, não consigo escrever.

Talvez seja essa a razão pela qual não escrevo livros sob encomenda.

– Qual a importância da literatura na vida das crianças e adolescentes?

Para mim, a literatura é importantíssima na vida das crianças, adolescentes e adultos.

Alimenta a fantasia, desenvolve o vocabulário, estimula a criatividade.

Sem falar nos estudos, já comprovados, de que as pessoas que lêem  livros de ficção nunca terão problemas de memória, como o Alzheimer.

Suas conexões cerebrais estarão ativas por toda a vida.

Embora afirmar isso pareça ultrapassado, na era da Internet e dos I-Pads, literatura é “musculação” para o cérebro. Não os jogos de computador.

Para ter o corpo e a mente “sarados” não basta ir às academias de ginástica. É preciso ler cada vez mais.

– Nosso País é um País que reconhece o trabalho dos escritores?

Não, infelizmente a literatura é a arte menos reconhecida pelos governos e empresas brasileiras.

A maioria dos projetos privilegia  a música, a dança, o teatro.

Nenhuma empresa se dispõe a patrocinar um projeto literário porque “não traz retorno de mídia”.

Sem falar que, no ranking dos países  desenvolvidos e em desenvolvimento, na área de educação, o Brasil está na rabeira.

Somos ainda um país de analfabetos. Escrever onde não se lê é lutar sempre contra moinhos de vento, um trabalho quixotesco.

E a prova dessa falta de reconhecimento é que são muito poucos os escritores brasileiros que conseguem sobreviver da literatura.

Ainda bem que a paixão pela escrita nunca morre.

 

Entrevista de uma Super Mulher Normal . Eve Picardi

Postado por Cris Rajão em Cultura, Entrevistas

eve picardi

Eve é uma Super Linda Mulher Missionária, e fundadora do  Arte que Salva…

Projeto Super nobre sobre o qual citei aqui no post anterior. 

Vale à pena conhecer um pouco desta Super Mulher que faz do BEM seu Lifestyle!!!

Nome: Eve Picardi

Profissão: Farmacêutica Bioquímica e Artista Autodidata

- Como surgiu o Arte que salva?

O Arte que Salva surgiu na minha primeira viagem missionária em 2009 para o Vale do Jequitinhonha.

Conversando com uma missionária brasileira, na Índia, que dirige um orfanato para abrigar meninas que seriam vendidas à prostituição, a ideia de levar telas para as crianças pintarem e depois envia-las para artistas renomados fazerem uma inserção nas mesmas telas, e então, fazer uma exposição e um leilão veio a minha mente.

Com isso eu poderia levantar recursos para serem reenviados a estas crianças para ajuda-las.

Assim nasceu o Arte que Salva.

Mas o primeiro Arte que Salva foi realizado logo a seguir no Haiti, em Porto Príncipe (2010), quando houve o forte terremoto deixando milhares de crianças órfãs.

A exposição deste ano que será realizada no Ponteio Lar Shopping dia 16 de outubro, está apoiando crianças do Haiti, Moçambique, interior do Maranhão e também um abrigo de crianças infratoras em Contagem.

- Foi fácil conseguir apoio dos artistas?

Fiquei muito sensibilizada com a adesão de 100 por cento dos artistas convidados, independentemente dos mesmos serem Super Famosos e Consagrados.

Eles amam o projeto, pois a arte neste caso, está sendo um instrumento de socorro e de misericórdia, indo de encontro as necessidades das crianças, e ao mesmo tempo objeto de expressão artística e de cultura.

- Quem são os clientes do leilão? São pessoas sensibilizados pela causa ou verdadeiros amantes da arte?

São os dois. Nós temos pessoas que compram telas  com o objetivo claro de apenas ajudar, e aqueles que além de ajudar querem aproveitar a oportunidade de investir em obras de arte assinadas por artistas internacionalmente e nacionalmente consagrados pagando um preço muito inferior ao praticado normalmente, por se tratar de uma ação humanitária.

- O projeto arrecada fundos de outras formas?

Por enquanto para viabilizar a execução do projeto nós contamos com alguns patrocinadores informais que querem ajudar, mas estamos nos organizando para receber doações periódicas e patrocínios de empresas.

O dinheiro da venda dos quadros vai integralmente para as crianças, sendo aplicado nas maiores necessidades deles.

As nossas viagens e demais gastos são pagos por nós mesmos.

Também estamos elaborando produtos para serem vendidos, como por exemplo, bonitas sacolas retornáveis para patrocínio dos nossos futuros eventos.

Mas, temos recebido muitas bênçãos, como por exemplo, o Shopping Ponteio que este ano além de abrir as portas do Shopping, também patrocinou os painéis e outros itens da nossa exposição, além da Rede Super de TV que nos lança em seus programas e shows. 

A designer gráfica Andreia Paulino nos doou a arte dos convites, e assim outras pessoas maravilhosas como o artista Fernando Vignoli que além de pintar um quadro para esta exposição, também nos doou um quadro seu, incrível!

Do mesmo modo Regina Albergaria e outros mais…

- Como se dá o processo seletivo dos artistas? Qualquer um pode participar?

Sim qualquer artista plástico pode participar, além de desenhistas e arquitetos que tem dons de desenho e pintura como o famoso Gustavo Penna, e  Matheus Nava que desenha incrivelmente bem a figura humana.

Quem quiser participar poderá acessar nosso site www.artequesalva.com (que estará funcionando em breve), ou me enviar um e-mail para evepicardi@hotmail.com, ou visitar minha pagina no facebook Arte que Salva.

Entrevista com uma SUPER MULHER NORMAL . Renata Almeida

Postado por Cris Rajão em Entrevistas

re escola

Semana que vem comemora-se o Dia das PROFESSORAS…

E não podia deixar de homenagear estas Super Mulheres Normais que dedicam-se a nobre tarefa de EDUCAR!!!

Sou fã destas mulheres que fazem o que AMAM!!!

Por este motivo, escolhi para entrevistar uma Super Mulher Normal que é a Simpatia em Pessoa e que dedica sua vida à esta ARTE que é EDUCAR!!!

Com a palavra…

Nome: Renata de Oliveira Almeida

Idade: 47 anos

Profissão: Professora ( Pedagoga )

– Você sempre quis ser professora? Como se deu esta escolha?

Minha vontade de ser professora nasceu muito cedo, eu tinha 8 anos de idade e sofria uma grande discriminação de minha professora: eu loirinha, cabelo lisinho e com uma personalidade forte lapidada pelo meu pai que sempre me ensinou que devemos dizer o que está errado e o que está certo.

Já imaginou uma bonequinha dizendo a uma professora que não se fala “pra mim fazer” e sim “pra eu fazer”, isso bastou para que ela começasse a me perseguir.

Então, um dia cheguei em casa chorando e disse aos meus pais: “Quando eu crescer vou ser professora e vou amar todos os meus alunos”.

E ai estou eu, fazendo o que mais amo, sempre respeitando o jeito de ser de cada um.

– Como você enxerga a educação em nosso País hoje?

A educação em nosso país me entristece bastante e de todos os lados:

Um governo corrupto e inconsequente que prefere cidadãos ignorantes, educadores despreparados que lutam por melhores salários sem lutar por melhores capacitações e famílias que delegam à escola o dever de educar.

Eu vejo a educação como um barquinho em alto mar, alguns enxergam mas tem preguiça de parar para socorrer.

– É bem mais raro vermos pessoas escolhendo esta profissão nos dias de hoje. Ficou pesado ser educadora, ou o salário é o que pesa no final das contas?

O salário de um professor seria engraçado se não fosse trágico, se essa situação não é de hoje, quem escolhe esta profissão já sabe o que lhe aguarda.

Eu acredito, então, que não é a questão salarial que pesa mais, e sim o trabalho diário de ser um professor.

É preciso ter amor, não é só chegar em uma sala de aula e passar o conteúdo, você realmente tem que se dar e se envolver sete dias por semana e isso é muito pesado (mas tão gratificante que não tem preço).

– Qual o bônus de ser professora e o ônus?

Sabe aqueles dias em que você acha que nem deveria ter acordado, que tudo está dando errado, pois é, ai você entra na escola e um batalhão de carinhas risonhas lhe abraça, beija e diz que você é linda e a melhor professora do mundo, tem bônus melhor?

E quando você se mata para planejar uma aula e vê que todo aquele trabalho foi aproveitado, isso não tem preço.Tudo nesta vida tem um lado que não é muito bom e para mim o maior ônus de ser professora é o de não ver seu trabalho reconhecido pela família de um aluno, dói quando um pai ou uma mãe lhe aponta o dedo e diz que você não está sendo correta.

– Você já quis desistir?

Tenho 28 anos de profissão, já lecionei em todos os segmentos e em nenhum momento pensei em desistir, eu realmente nasci para ser uma professora e tenho orgulho do meu trabalho.

– Dê uma dica para que pretende ingressar na carreira…

Agora vai uma dica para quem pretende seguir essa profissão: Faça tudo com muito amor, “mate” um leão por dia se preciso for, e você será eternamente feliz.

Não entre na educação pensando no salário, pense que ao trabalhar com alunos você irá receber muito mais.

 

Entrevista com uma SUPER MULHER NORMAL . Mariana Hoffman

Postado por Cris Rajão em Entrevistas

mari4

tatoo

Outro dia cismei que queria acrescentar mais duas palavrinha ao meu corpo,

Fé e Yeshua (Jesus em Hebraico)… Que meu marido não me escute!!!

Amo tattoos!!! Mas, já tenho 6…

Queria muito entrevistar e fazer minhas novas obras de arte com uma TATUADORAAAA…

Então…dali GOOGLE!!!

Como pude confirmar, não são muitas, principalmente em BH.

Já tinha o nome… mais uma busca… agora pelo Face… e aí estava ela toda Linda e Estilosa!!!

Era ela Mariana Hoffman!!!

Enviei uma mensagem e fui Super Bem Recebida!!!

No que deu… por enquanto, somente esta entrevista!!!

As Obras de Arte virão em Breve!!!

Sorry Husband!!!

Nome:  Mariana Hoffman

Idade: 30 anos

Profissão: Tatuadora e estudante de Design de produto

– Como surgiu sua paixão por tattoo? Como começou a tatuar?

Desenho desde bebê, como diz minha mãe, e sempre amei todo tipo de expressão artística.

Quando me interessei por tatuagens eu era bem novinha, tinha apenas quatorze anos, mas o meu interesse era em ter uma tattoo.

Com muito custo consegui convencer minha mãe a autorizar minha primeiríssima arte eterna.

Com o passar dos anos minha paixão por tattoos só aumentou.

Com vinte anos eu já tinha três.

Foi aí que meu tatuador e amigo Érik, perguntou por que eu não começava a fazer séries para vender em convenções (Convenções de tattoo são feiras onde há exposições, concursos de melhores tatuagens e muitas pessoas vão para se tatuar) e eu gostei da ideia.

Na época eu dava curso de desenho de observação num atelier na cidade de Carangola, onde morava com meus pais.

Mais do que depressa escolhi o estilo comercial feminino e comecei a criar minha primeira série de tattoos (Séries de tatuagem são coleções com desenhos feitos próprios para tatuagem, existem vários estilos; Realismo, oriental, comercial feminino, comercial masculino, maori, etc…)

Com a série terminada, fui a São Paulo participar de uma das maiores convenções de tattoo do Brasil, a Led´s Tattoo e não imaginei que me encantaria tanto com esse mundo…

Vi as cooperações entre os tatuadores e o clima de amizade, conheci muita gente.

Verdadeiros artistas!!! Aquilo sim era arte!!!

Vendi todas as 40 cópias que preparei e voltei para casa disposta a aprender.

Sabia que ali estava algo com que eu realmente poderia me realizar no contexto “arte e satisfação”.

Comprei meus primeiros materiais, máquinas, tintas…

Sempre preocupada em utilizar o que havia de melhor no mercado e me dedicar a aperfeiçoar sempre.

Comecei tatuando uns amigos muito corajosos e deslanchei.

Quando vi tinha a maior loja da cidade e atendia toda a região.

Minha loja não parava vazia.

Em 2007 me apaixonei por outro tipo de arte, mais técnica e precisa, Design de Produto.

Vim para Belo horizonte estudar.

Hoje fazem 10 anos que tatuo.

Ssou especializada em traços mega finos, mas tatuo todos os estilos e tenho clientes para todos os gostos.

Tenho certeza que no dia que escolhi tatuar, fiz a escolha mais sábia da minha vida!!!

– O mercado é predominantemente masculino. Existe preconceito por você ser mulher?

Em São Paulo e no Rio, todos os estúdios tem ao menos uma tatuadora.

A preferência dos donos por elas, é para suprir a demanda de mulheres que querem tatuar em locais íntimos e não tem coragem de fazer o procedimento com um tatuador homem.

Aí já começa o preconceito…

Nós mulheres tatuamos tão bem quanto os homens,  além de sabermos desenvolver desenhos grandes e masculinos, também somos melhores em pequenos detalhes, certas delicadezas que a maioria dos homens por terem as mãos mais brutas não consegue.

Em Belo Horizonte, existem pouquíssimas tatuadoras, pode contar nos dedos das mãos, acho que a grande dificuldade aqui é o preconceito por parte de muitos estúdios que não querem ter mulheres tatuando.

Quanto aos clientes, sempre rola desconfiança, lógico, para aqueles que não conhecem meu trabalho.

Já vivi vários casos assim, principalmente por clientes homens.

– O que te inspira?

Cada trabalho é único, mesmo já tendo feito alguns muito parecidos é como se fosse o primeiro.

Quando estou livre para criar tento me guiar pelo movimento, artes mais gráficas e cores.

Usar movimento nos desenhos desprende e desenrijece a tatuagem, não acho bacana a estaticidade de certas tattoos que vejo por aí.

O corpo e o pensamento humano são maleáveis e flexíveis, a arte que o envolve não pode deixar de ser.

– O que uma pessoa deve ter em mente na hora de escolher uma tatoo para chamar de sua?

Nós estamos à disposição para conversar e interpretar da melhor forma o que se passa na cabeça dos clientes, podemos dizer que somos decifradores de pensamentos confusos, rs…

A maioria das pessoas já tem em mente o que querem fazer, mas não conseguem expressar ou materializar em desenho.

Por isso normalmente marcamos uma consulta para chegar à arte exata, colocar no papel e depois na pele o que a pessoa queria.

Para chamar uma tatuagem de realmente sua, primeiramente ela deve expressar algo legítimo, próprio e particular, mesmo que seja um desenho da moda, as alterações podem ser feitas para torna-la algo especial.

Para chamar de sua é necessário sair da cópia, não tatuar simplesmente porque esse ou aquele desenho está na moda.

Llembre-se, moda passa e sua tattoo ficará por toda a vida.

As pessoas confundem muito, acham que a tattoo é algo momentâneo, ou simplesmente não pensam nelas a longo prazo, cometendo muitas vezes um grande erro.

Mesmo que você sinta afinidade com algum desenho que esteja na moda, para chama-lo de seu, você deve incorporar algo bem particular.

– Qual o seu estilo?

Tatuo de tudo, ao ver meu portfólio fica difícil identificar o que eu realmente gosto mais de tatuar.

Tenho imensa preferência por tattoos delicadas, normalmente as femininas, com traços finos e muitos detalhes, como florais, ramagens e Sketchings.

Isso não quer dizer que também não goste de desenvolver e tatuar desenhos chapados ou fechamentos (Fechamentos são tatuagens que tomam todo um membro, como; braços, pernas e costas).

– Qual a ligação da moda com a tatoo?

Existe e não existe ligação!!!

Tatuagem está totalmente desconexo a moda no contesto de coexistir.

Já foi vista com muito preconceito, mas hoje faz parte da pura necessidade de diferenciação do ser humano.

Não digo isso no âmbito de desenhos, mas sim no sentido de se ter uma tattoo.

Costumam dizer que o ser diferente hoje é não ter tattoos.

Errado!!!

O “ser” diferente hoje é a escolha do estilo a se tatuar, algo que te descreva, ajudando na representação da sua personalidade.

Tatuagens nunca deixarão de ser feitas, na verdade se fará cada dia mais.

Sobre a ligação com a moda, devo dizer que existe uma forte ligação no sentido do que “está sendo feito” hoje em dia. (desenhos).

Hoje, podemos dizer que o que está na moda são frases, pássaros, penas, caveiras no estilo Chicano, florais no estilo tradicional, entre outros.

Neste contexto podemos afirmar que tem tudo haver com modismo, mas cabe salientar que mesmo na moda, esses desenhos podem ser incorporadas a marcas próprias e individuais de cada pessoa.

Por exemplos as frases, que, por mais que se pareçam e estejam sendo feitas nos mesmos locais, cada uma conta uma história, cada uma tem um significado particular pela pessoa que a fez, portanto, por mais que na moda ou parecidas que sejam, são totalmente diferentes.